POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO DE DROGAS INTERESTADUAL, MANDADOS SÃO CUMPRIDOS TAMBÉM EM GUAJARÁ-MIRIM

 Operação Intervenção cumpre mandados em 5 cidades dos Estados de Rondônia e Maranhão.



A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (11/11/2021) a OPERAÇÃO INTERVENÇÃO visando desarticular esquema criminoso de envio de carregamento de drogas do Estado de Rondônia para o Maranhão através do uso de veículos utilitários, caminhões e ônibus. A última carga do grupo foi apreendida na data de ontem, quarta-feira, 10.

Nesta última ocasião os Policiais Federais, em acompanhamento a dois dos integrantes da associação, lograram êxito em apreender mais de 188kg (cento e oitenta e oito quilos) de cocaína sendo transportados em um caminhão vindo da cidade de Guajará-Mirim/RO a Porto Velho/RO. A abordagem se deu no KM48 da BR-364 sentido Rio Branco/AC. 



Hoje aproximadamente 100 policiais federais cumprem 28 Mandados Judiciais de Prisão Preventiva e de Busca e Apreensão expedidos pela Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho/RO. Os mandados estão sendo cumpridos em cinco cidades: Guajará-Mirim/RO, Porto Velho/RO, Paço de Lumiar/MA, São José de Ribamar/MA e Parauapebas/PA. 

As investigações foram iniciadas em março de 2021, quando integrantes do grupo criminoso, que é sediado em Porto Velho/RO, tentavam trocar um caminhão por droga (cocaína) na cidade de Guajará-Mirim/RO. O grupo portovelhense adquiria a droga em Guajará Mirim/RO e enviava para a droga para a grande São Luís/MA. 



A droga era enviada para o Maranhão por rodovias federais, especialmente a BR-364 e BR230 (Transamazônica). Durante a operação outras três remessas de drogas foram apreendidas nas cidades de Ji-Paraná e Porto Velho/RO, cerca de 120kg (cento e vinte quilos) de substância popularmente conhecida como “cocaína”. Sendo assim, aproximadamente 310kg (trezentos e dez quilos) de “cocaína” do grupo foram apreendidos. 

O dinheiro da droga era recebido de forma dissimulada em contas bancárias de empresas de “fachada” e de pessoas próximas aos traficantes, o que caracteriza o delito de lavagem de dinheiro. Os presos, após serem ouvidos pela Polícia Federal, serão encaminhados para o sistema prisional onde responderão pelos crimes de tráfico interestadual de drogas, associação ao tráfico, bem como lavagem de dinheiro cujas penas somadas podem chegar a mais de 40 anos de prisão. 




Fonte: Jorna O Mamoré

 

Postar um comentário

0 Comentários