CRÔNICAS DO BERÇO DO MADEIRA – PROFESSORA LUÍZA, MÚLTIPLA, SUPERLATIVA….

Compartilhar:

 


Neste 19 de setembro, comemora-se o centenário de nascimento do   mais célebre e festejado educador brasileiro. Falamos do recifense Paulo Freire, respeitado por sua cátedra dentro e fora do país em defesa da educação para a liberdade, onde homens e mulheres se educam em comunhão.  

No Berço do Madeira, também temos nossa    dinastia freiriana representada pelas palavras sempre sinceras e lapidares da professora Maria Laurinda Groff. Contida    na fleuma quase beneditina do professor José de Góis Lopes Neto (in memoriam). Presente na liderança peculiar da professora Angelina Rodrigues Uchôa e na delicada generosidade da professora Lucimar Martins de Carvalho (in memoriam).

Herdeiros e anunciadores deste saber construído por estes notáveis, destacamos o professor Ismael Pereira de Lima, cuja paciência de Jó, o eleva à categoria de um profeta e seus ensinamentos elevados. É imperativo referir-se a sempre combativa professora Samantha Sulamita,  assentada em suas trincheiras sempre a mesclar o nosso passado e os desafios do   cotidiano. E a professora Marcia Dias, cuja verve literária enfeita lindamente de poesia o frutífero chão do Berço do Madeira.

Me desculpem caros colegas educadores, mas, com o devido respeito, dedico alguns parágrafos desta crônica à “Professora Maria Luiza”. Múltipla e superlativa, esta criatura ultrapassou qualquer categorização, porque se fundem nela   o sentido mais profundo e belo que temos da palavra “Educação”, e o ser humano, cuja essência é sinônimo de ternura, dedicação e compromisso, amalgamados por um profundo senso de justiça e amor ao próximo.

Querida, lembrada e reverenciada por ex-alunos, pais, e colegas de trabalho, a Professora Luíza educou com grandeza de espírito e nobreza de gestos. Nunca desistiu de nenhum de seus alunos, tratando-os com reverência, “aprendia na medida que ensinava, e ensinava na medida que aprendia”.

Chorou muitas vezes, numa delas, chorou copiosamente quando viu um ex-aluno envolvido com drogas. Por onde passou, a Professora Luiza deixou uma marca perene no coração das pessoas, e são raras criaturas desta estirpe, magistralmente denominadas “Seres de Luz”. Talvez os sábios alquimistas consigam decifrar tamanha grandeza de espírito.  

A dinastia que lançou a pedra fundamental da educação do Berço do Madeira, e seus herdeiros anunciadores da boa nova, mesmo que por um momento, sentiram a mão fraternal e amiga da Professora Luíza sobre as suas. O educador Paulo Freire é o patrono da educação brasileira, a professora Luíza é a bússola que aponta para o horizonte da educação inclusiva e da esperança no Berço do Madeira.

Autor: Simon O. dos Santos

 

Nenhum comentário