PREFEITURA DE GUAJARÁ-MIRIM APROVEITA A PANDEMIA PARA FAZER CONTRATOS POLÊMICOS

Compartilhar:


As pessoas que nasceram em Guajará-Mirim ou que vivem na cidade, ainda que seja por pouco tempo, conhecem muito bem a tradição da cidade, com relação às rádios locais. Nos horários de programas que tratam de informações políticas ou policiais, as rádios são ouvidas em todos os lugares. Quartéis, lojas, pontos de táxis, restaurantes, sítios, igrejas, bares, aniversários reuniões de vizinhos... Em todos os lugares, as pessoas ouvem rádio e acompanham absolutamente todas as informações, isso sem falar na programação de TV.


Agora, principalmente por causa da pandemia do coronavírus (Covid 19), a população está muito mais atenta e o hábito de ouvir rádio se consolidou muito mais. Exatamente neste período, em que muitos órgãos públicos adotam medicas de contenção de gastos, a prefeitura de Guajará - Mirim contratou  serviços de publicidade, por mais de 29 mil reais, um valor considerado alto, com a finalidade de colocar nas ruas um automóvel e uma motocicleta, com sistema de som,  avisando sobre a pandemia. Com toda a abrangência de rádio e TV no município, devemos nos perguntar se esse tipo de contrato é uma prioridade. Claro que as pessoas precisam ser informadas sobre a doença e também é importante que sejam passadas orientações, referentes às medidas de prevenção adotadas pelas autoridades, mas, talvez, a administração municipal deveria analisar as prioridades deste momento.

Em diversos bairros da cidade, há dezenas de moradores reclamando que nunca viram este carro ou a motocicleta passar nas ruas. Possivelmente esta situação acontece, porque existem muitas ruas do município que estão intrafegáveis. Por este motivo, as informações pelo rádio e TV certamente possuem muito mais eficácia, mesmo porque não existe nenhuma residência em Guajará-Mirim que não tenha um rádio e são raras, muito raras, aquelas onde não há aparelho de televisão. 

Entretanto, mesmo nos lares onde não existe rádio ou TV as pessoas recebem informações pelos vizinhos, porque em Guajará-Mirim também é muito antiga a cultura de comentar fatos entre vizinhos. Nestes tempos de redes sociais, é muito difícil acreditar que exista alguma pessoa que não tenha informações sobre o coronavírus.

A doença é grave, não existem remédios que sirvam para curar a doença, os números de mortos aumentam todos os dias, em quantidade dobrada ou triplicada. As pessoas não podem ficar nas ruas, é necessário evitar aglomerações. Como a cidade não dispõe de uma estrutura hospitalar que possa atender a população, em caso de contaminação, precisamos adotar as medidas de prevenção e ouvir as orientações das autoridades médicas e sanitárias. 

A colaboração da população é fundamental. Mas também é fundamental que o poder público analise com muita responsabilidade como aplicar os poucos recursos que chegam aos cofres do município. Ainda que a decretação do estado de calamidade facilite a ação da administração, no sentido de fazer gastos sem a necessidade de licitação, isto não significa que deve ser instalado um “vale – tudo” no setor de compras do município.





Fonte: Guajará Noticias – João Teixeira DRT/RO - 1052



Nenhum comentário