EXPEDITO NETTO COBRA ESCLARECIMENTOS DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA SOBRE PREÇO DO CAFÉ

Compartilhar:

O Deputado Federal Expedito Netto (PSD-RO) esteve na última sexta-feira (06) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para tratar sobre o reajuste no preço da saca de café.



O parlamentar se reuniu com o Secretário de Política Agrícola, Eduardo Sampaio,  e com o Diretor de Comercialização e  Abastecimento, Silvio Farnese, para pedir esclarecimentos sobre a informação de que Rondônia seria o único estado do país a não ter aumento no valor das sacas este ano e sendo, inclusive, o menor valor do país.

“O aumento da produtividade do café em Rondônia é fruto de investimentos dos agricultores em tecnologia, tratamento do solo, maquinários, entre muitas outras ações. Ao não reajustar os preços mínimos do café conilon para Rondônia, a Conab escolhe reduzir a proteção aos agricultores de Rondônia e aumentar os riscos aos quais eles estão submetidos”, declarou Expedito Netto.

 Durante a reunião, o parlamentar enfatizou seu trabalho pela agricultura do estado ao destinar cerca de R$ 6,2 milhões de suas emendas parlamentares para aquisição de 63 secadores de café para serem distribuídos pelo estado de Rondônia.

 Em explicação aos questionamentos do parlamentar, o Secretário de Política Agrícola informou que o valor divulgado não se refere ao preço de mercado do café (que gira em torno de R$ 280), mas sim ao preço mínimo que irá balizar o governo numa eventual queda do preço. Eduardo Sampaio enfatizou ainda que o preço do café “reflete uma competitividade média superior em relação ao Espírito Santo, por exemplo”.

 O Diretor de Comercialização e Abastecimento, Silvio Farnese, explicou que esse o valor de R$ 210,13 se refere a um piso mínimo no preço da saca. “Sinalizamos esse preço mínimo como uma garantia de que o produtor tenha um piso de preço. Mas temos a convicção de que Rondônia, com toda pujança no mercado de café, não chegará a esse preço”, destacou.

 Ao final da reunião, Expedito Netto reforçou seu trabalho e sua luta pelos agricultores de Rondônia. “Ainda que existam critérios técnicos para esse tratamento, jamais aceitarei que Rondônia, ou que nossos agricultores, sejam tratados de forma desigual e injusta perante aos outros estados do nosso país”, enfatizou Netto.

Fonte: Assessoria de Comunicação


Nenhum comentário