ISAÍAS FERNANDES BUSCA VIABILIZAR PROGRAMA CRÉDITO FUNDIÁRIO PARA FAMÍLIAS DE NOVA MAMORÉ

Compartilhar:

O programa é um incentivo ao agricultor

Evandro Padovani Secretário Estadual de Agriculta garantindo apoio ao programa 
O vice-prefeito de Nova Mamoré/RO, Isaías Fernandes, esteve participando de várias reuniões em Porto Velho, buscando viabilizar o programa crédito fundiário para atender os produtores rurais do município.

Isaías visitou alguns municípios como Candeias do Jamari e Nova Brasilândia, conhecendo o andamento do programa naquelas localidades. Ele também destaca a atuação do presidente Jair Bolsonaro que diminuiu de 18 etapas para 6 etapas, facilitando o acesso a esse programa.

Nesse sentido, esteve visitando o Estado de Rondônia, Carlos Everardo, diretor nacional do crédito fundiário, aonde analisou vários processos que já existem e viu que o estado é muito promissor e também sinalizou que para 2020 serão liberados recursos para o programa no estado. No município de Chupimguaia serão contemplados aproximadamente mais 200 famílias, que já estavam aptas.

Bruno Vinicios coordenador do Programa Crédito Fundiário do Estado de Rondônia
No estado o responsável pelo programa, Bruno Vinicios se colocou a disposição para apoiar na implantação do programa em Nova Mamoré, assim como o secretário Estadual de Agricultura Evandro Padovani, que garantiu total apoio.

É importante destacar que para viabilizar e agilizar a implantação do programa, técnicos já foram capacitados através da Secretária do Estado de Agricultura - SEAGRI, para começar os trabalhos de cadastramento das famílias no município, um termo de cooperação já foi assinado e enviado para Brasília, onde o vice-se prefeito irá coordenar o programa.

Capacitação dos técnicos para começar o cadastramento em Nova Mamoré
Algumas famílias já começaram a ser cadastradas em Nova Mamoré e em breve o programa será ampliado para que novos possíveis beneficiários possam ser cadastrados e possam participar do programa.

“Os recursos financiados podem ser utilizados na estruturação da propriedade e do projeto produtivo, na contratação de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e no que mais for necessário para que o agricultor desenvolva as suas atividades de forma independente e autonomia” destacou Isaías Fernandes.

Fonte: Assessoria


Nenhum comentário