CHUVAS FORTES NA BACIA DO BENI DEVEM ELEVAR O NÍVEL DO RIO MADEIRA

Compartilhar:
A cota máxima do nível do rio Madeira prevista pelo Sipam é de 17,53 e deverá ocorrer em março.

O nível do rio Madeira baixou cerca de 30 centímetros nos últimos 8 dias, mas a previsão, de acordo com o Sistema de Proteção da Amazônia em Rondônia (Sipam), é que nessa semana o nível do rio volte a subir devido as fortes chuvas que ocorreram na cabeceira dos rios Beni e Madre de Dios, na Bolívia. A previsão é de que duas trombas d’água caiam no rio Madeira nessa semana. A primeira será em decorrência da chuva que ocorreu no rio Madre de Dios no início do mês, que está chegando, e a outra será devido as chuvas que ocorreram no último final de semana no rio Beni. O nível do rio Madeira atingiu ontem (18) a cota de 16,23.

Segundo a chefe da Divisão Operacional do CR-PV, Ana Strava, a cota máxima do nível do rio Madeira prevista pelo Sipam é de 17,53 metros e deverá acontecer somente em março. Ela informou que, mesmo com a elevação em decorrência da tromba d’água, o nível não chegará aos 17 metros.
“Nós ainda estamos longe de atingir a cota máxima de 17 metros. A gente monitora as chuvas da Bolívia e estávamos esperando uma onda de cheia de uma chuva que aconteceu no dia 10 deste mês, mas ela não consegue aumentar um metro aqui não. Toda a água que cai lá nós recebemos um impacto maior porque as águas descem com muita força. Mas a quantidade de água para fazer a elevação do Madeira ela deve ser muito grande e somente com a tromba d´água ela não é suficiente para elevar o Madeira aos 17 metros ainda nessa semana”, explicou Ana Strava. O Sipam está realizando, junto com a Defesa Civil Municipal e outros órgãos, uma reunião por semana para monitorar e fazer prognóstico dos próximos dias.
De acordo com o coordenador de operações da Defesa Civil, Rogério Félix, a equipe continua fazendo o monitoramento diário do rio e uma equipe de assistência social também estão em campo atendendo às famílias que foram atingidas. No total, 14 famílias já saíram de suas casas com a cheia do Madeira. A última família retirada com a ajuda da equipe da Defesa Civil deixou sua residência ontem (18).
“Na sexta-feira passada a equipe visitou as famílias da comunidade de Cujubim e comunidade de Mutum Paraná para darmos assistência a essas famílias a partir dessa semana. E terça-feira vamos receber um novo boletim sobre a chegada de uma nova tromba d’água”, disse. O Igarapé Santa Bárbara, que fica Próximo a feira do produtor rural, no bairro Baixa União, no centro de Porto Velho, já transbordou e cobriu algumas ruas da região.
Por Sara Cicera

Fonte: Diário da Amazônia

Nenhum comentário