AGENTES PENITENCIÁRIOS EM GUAJARÁ MIRIM ADEREM GREVE

Compartilhar:


Os agentes penitenciários de Rondônia entraram em greve nesta sexta-feira, 18. Os agentes lotados em Guajará-Mirim também cruzaram os braços. Os agentes alegam que há cinco anos houve uma negociação com a categoria e governo para reavaliar o salário, agora foi vetado. Representantes sindicais de todo o estado participaram da reunião, e decidiram entrar em greve.

A fragilidade será ainda maior nas unidades prisionais, já que o contingente e as condições de estrutura física deixam a desejar, como na Casa de Detenção Masculina de Guajará-Mirim, em meados e até o nal de 2018 ocorreram fugas e tentativas de fugas, devido as péssimas condições físicas do local super lotado de presos. Segundo a direção do Singeperon (Sindicato dos Agentes Penitenciários e Socioeducadores de RO), são cerca de 2.500 agentes, com salário muito baixo pela função e riscos que correm, o valor do orçamento vetado pelo governador Marcos Rocha chega a quase 25 milhões de reais, com isso o acordo foi quebrado e a deliberação de greve seguirá.




Apenas um contingente mínimo de agentes penitenciários estará atuando para garantir os serviços de alimentação e atendimento médico nos presídios estaduais. 

 A categoria está reivindicando a implantação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) que era previsto para 2019, mas foi vetado pelo governador Marcos Rocha (PSL) na semana passada. Além da cobrança do realinhamento de salários, carga horária, entre outras melhorias.

As unidades de Guajará-Mirim: Casa de Detenção, Albergue Feminino e Penitenciário Regional estão com a maioria das atividades paralisadas, inclusive visita aos apenados.

Fonte: O MAMORÉ

Nenhum comentário