FAMÍLIA PROCURA HOMEM QUE DESAPARECEU APÓS SAIR PARA EXTRAIR CASTANHA EM MATA DE GUAJARÁ-MIRIM-RO

Compartilhar:

Francisco Pereira da Silva está desaparecido há oito dias. O Corpo de Bombeiros trabalha no caso.

Francisco Pereira desapareceu no domingo 18 de novembro — Foto: Maria Ivaneuza da Silva/ Arquivo pessoal

Um homem de 51 anos está desaparecido há oito dias, desde que foi extrair castanhas com um grupo de amigos, na Comunidade Ouro Negro, no Rio Ouro Preto, zona rural de Guajará-Mirim (RO). O local do desaparecimento fica há aproximadamente dois dias de viagem de Guajará-Mirim.

Familiares afirmam que o pescador Francisco Pereira da Silva, conhecido como ‘Chico-Lé’, saiu para extrair castanha com um grupo de amigos, no último domingo (18). No local, Francisco teria entrado na mata, com uma espingarda e um terçado, para caçar animais da região.

Ainda de acordo com relatos de familiares, com o passar do tempo os amigos entraram na mata a procura de Francisco, mas ele não foi localizado. Quando conseguiram sinal telefônico, os amigos enviaram uma mensagem para que um conhecido registrasse um boletim de ocorrência sobre o caso.

No último sábado (24), o boletim foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Guajará-Mirim. Após isso, a família de Francisco foi informada.

“Meu sobrinho foi junto com os bombeiros para fazer a busca. Nós estamos confiantes porque ele [Francisco] tem muita experiência na mata”, diz Maria Ivaneuza da Silva, irmã de Francisco.

O Corpo de Bombeiros informou ao G1, que a equipe deve chegar na Comunidade Ouro Negro por volta das 16h deste domingo (25). E caso Francisco não seja localizado até a próxima sexta-feira, outra equipe será enviada para auxiliar nas buscas.

“A equipe foi de voadeira porque é mais rápido. O local é muito longe. Tanto que o homem que veio trazer a informação demorou dois dias para chegar. Lá não tem telefone, não tem sinal de internet”, informou o Sargento Cerqueira.

O pescador Francisco Pereira da Silva, de 51 anos, é o quarto de dez irmãos, ele é casado com uma boliviana e não tem filhos.

Por Ana Kézia Gomes , G1 Guajará-Mirim e Região


Nenhum comentário